quarta-feira, 18 de junho de 2008

A internet está virando interneta

Há alguns anos que acompanho com grande entusiasmo uma estatísca do relatório Webshoppers (www.webshoppers.com.br): a participação das mulheres no e-commerce. A cada ano que passa, o número vem crescendo e finalmente neste ano de 2008 elas mostraram a que vieram, já ultrapassando o número de meninos comprando pela internet em várias categorias de produtos.

E não é só no consumo do varejo eletrônico que uma silenciosa revolução pink vem acontecendo... Antes de serem compradoras online, elas são usuárias da internet. E o uso da internet de modo geral vem, a cada dia mais, com elas à frente. E a internet "feminina" vem com muita força ainda mais pela nova geração. As internautinhas, em maior número que os internautinhos mirins, vêm dando mostras de que este é um movimento irreversível em todo mundo.

Alguns números para embasar meu discurso: segundo mais recente pesquisa do IBOPE NetRatings sobre o uso da internet por mulheres, no Brasil os internautas residenciais ativos entre 02 e 11 anos de idade correspondem a 11,2% do total de 21,1 milhões de usuários brazucas online. Deste número, 6,1% são de meninas e 5,1% de meninos... Olha elas chegando aí!
As mulheres também ganham dos homens, com idade entre 25 e 34 anos, só que em menor número. Essa fatia corresponde a 17,8% do total de pessoas que acessa a internet de casa, 8,9% delas quase empatam com 8,8% deles. E isso é um reflexo de todos os países onde a internet já atingiu maturidade.

A internet está virando interneta. Criada por homens para homens, vive um momento de rever suas direções estratégicas e pensar sobre como fazer negócios com este público ávido por ser ouvido, respeitado e atendido em suas necessidades características de consumo.

Começamos a ver cada vez mais campanhas na internet só para as mulheres, mas muitos colegas de mídia reclamam de um problema: ainda são poucos os canais na internet mundial que falam a língua delas. O mercado está carente de ferramentas para atingir este público...

Opa! Para boa palavra, meio entendendor basta... Veja só que aí há oportunidades! E muitas!

Então, meus colegas de marketing ou futuros empreendedores em busca de bons negócios: mãos à obra! Chegou a hora, meus amigos, de finalmente entendermos as mulheres... Quais suas necessidades, seus aspiracionais, seus objetivos? Como fazê-las felizes e gerar bons negócios para todos? Faça sua lição de casa. Vá para Vênus, tome uma Coca Zero com elas e ouça-as muito - e até o fim.

Sejamos todos bem-vindos à internet de saias. O mundo virtual também é das mulheres.

2 comentários:

Bate Papo Sobre e-Commerce disse...

Dica: http://vilamulher.com.br/

.:: m A r U x O ::. disse...

Muito boa dica! O pessoal da Vila Mulher, uma iniciativa que tem o Buscapé por trás, já está fazendo esta lição de casa muito bem. Outro site que já vem nessa estrada há 8 anos é o Bolsa de Mulher (www.bolsademulher.com.br) e, nos EUA, o pioneiro é o iVillage (www.ivillage.com). A quem quiser se aprofundar mais no tema, vale à pena conhecer.